CORRER PARA AQUECER

16:00


Compramos um móvel no IKEA. Chegamos a casa, abrimos e tinha uma peça partida. Tivemos de voltar lá. Já era a segunda vez que tínhamos de voltar a loja, embora por motivos diferentes. Enfim, também tínhamos de trocar umas coisas e devolver outras por isso lá fomos. Mas o chato foi estar partido. Mas acontece. Queríamos tudo pronto antes do fim do mês de Agosto e faltavam dois dias. Foi no mês em que andamos em grandes mudanças cá por casa. 

Por isso eu chamo a estes episódios indesejáveis, que implicam viagens de vai e vem, correr para aquecer. E porquê? Perguntam vocês. Porque já estou habituada a correr para aquecer! E talvez alguns de vocês se tiveram o mesmo "azar" que eu. Já tiveram 15 anos e alguém a dizer-vos "Bom dia, são seis voltas ao campo."? Já?  Íamos todos em rebanho dar seis voltas ao campo. Com aquele orgulho e suor a escorrer pelo corpo todo arrastava-mo-nos para o meio do campo onde a professora se colocava estrategicamente para ainda termos de andar gloriosos até ela. Aquando a chegada ela proferia as seguintes palavras: "Hoje vamos jogar....". Eu deixava de ouvir e dez minutos depois estamos organizados por ovelhas brancas e negras a correr atrás de bolas e bolinhas. Nesse altura eu questionava o sentido da vida. Mas usava a palavra propósito em vez de sentido uma vez que já no limite e tinha receio que a vida não entendesse a questão e julgasse ser uma pergunta de quem estava com o coração a bater fora do corpo o que já é possível hoje em dia e na altura também o ERA!!!!! 
Depois disto qualquer coisa como correr para aquecer que foi o caso já não me afecta. Entre psicólogos e períodos menstruais nunca mais andei as voltas atrás de bolas nem a correr para apanhar o vento. Mas se hoje for a alguma escola acho que ainda o andam a tentar apanhar. Vou lá dar-lhes uns frasquinhos para guardarem o vento. 

E foi correr para aquecer porque chegamos lá devolvemos e comprámos outro igual. Literalmente. Abrimos logo lá no carro para ver se estava tudo bem. Adivinhem...Estava partida a mesma peça. Já não trouxemos mais nenhum. Deviam estar todos assim. Foi aborrecido, mas acontece. Quando passar a telha vamos lá ver se já estão bons e se não compramos noutro lado. Mas a porra da telha aparece sempre pah, caramba. Eu julgo que se não houvesse telha tudo seria mais leve. 

You Might Also Like

1 comentários

  1. Há dias assim, já dizia a minha avó "quanto mais depressa mais devagar", às vezes isso é tão certeiro, quando queremos ter tudo pronto numa data e o mundo parece conspirar contra nós.

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar